Sericaia

Do nosso belo Alentejo vem tanta coisa boa!
Como este poema dedicado a Elvas, de António Sardinha, de onde vêm estas ameixas em calda deliciosas que vão dar um sabor especial à nossa Sericaia, que será servida amanhã


- “Esta Elvas! “Esta Elvas!” – Oh, então! Uma lágrima – um silêncio – um suspiro risonho porão Elvas inteira e viva à nossa frente evocada em Amor como num sonho.

História: Oriunda do convento de Santa Clara, em Elvas, terá sido D. Constantino de Bragança que trouxe da Índia a receita da Sericaia. Tradicionalmente, este doce era levado ao forno em pratos de estanho, hoje substituídos por pratos de fiança. Desde há 40 anos que existe, igualmente, o hábito de servir a Sericaia acompanhada com ameixas em calda, outra especialmente elvense. 

Por aqui já começo com a preocupação de ir tendo algumas receitas novas, já a pensar no Natal e nos frutos da época, tão apreciados aqui por casa! Por acaso hoje estou alí a fazer um bolinho de castanha com gila! Bem, mas isso é para outra altura!

Vamos lá a esta deliciosa sobremesa e sem demoras!



Ingredientes
0,5L de leite
1 Casca de limão
1 pau de canela
60 g de farinha
1 Pitada de sal
6 ovos
200g de açúcar
1c. de sopa de canela em pó
Qb de manteiga

Preparação
Ligue o forno a 220º.
 Ferva o leite com a casca de limão e o pau de canela e deixe arrefecer. Em seguida, dissolva a farinha com o sal já misturado nesse leite,mexa para mistura bem e dissolver a farinha completamente.
Bata as gemas com o açúcar, até obter um creme fofo e esbranquiçado, e adicione ao leite. Deve ficar tudo homogéneo e sem grumos.
Ponha este preparado a cozer em lume médio, mexendo sempre, até se ver o fundo do tacho. Retire do calor e deixe arrefecer. (fica com a consistência de um leite creme um pouco mais espesso)
Depois bata as claras em castelo bem firme e junte, cuidadosamente, ao preparado anterior (como se faz para o sufflé). Envolva sem bater.
Unte com manteiga um prato de barro, louça ou estanho, que suporte temperadas elevadas.
Com uma colher grande, deite o doce no prato em colheradas, isto é fazendo escama.
 Polvilhe a superfície com canela por um passador e leve a Sericaia a cozer em forno bem quente,
até abrir fendas. Sirva frio acompanhado por ameixas em calda de Elvas.
Também pode optar por servir com nozes e mel.


Bom Apetite :)

10 Barriguinhas Comentaram

  1. Só fiz uma vez e gostei.
    A tua com a ameixa em calda ficou mesmo uma tentação
    bom domingo
    bjs

    ResponderEliminar
  2. Que belo aspecto!
    Beijinhos
    http://sudelicia.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Olá Lúcia,
    se soubesses o tanto que gosto desta sobremesa :) adoro, embora nunca tenha feito, mas já comi muitas vezes no alentejo.
    Agora vou roubar a tua receita, será um bom motivo para me deliciar :)
    As cores outonais estão lindas a gosto dessas rachaduras em cima. Uma sobremesa gulosa, onde me apetece perder a culpa :)
    Bjns
    Isabel

    ResponderEliminar
  4. Olá!
    Eu nunca fiz e nem nunca comi Sericaia! Mas olhando assim me parece com um ótimo aspecto...e também me parece que ia gostar!!! Agora só falta provar! :)

    Beijinhos;

    ResponderEliminar
  5. Acreditas que nunca comi sericaia ... :P vou ter de experimentar , depois de ver estas imagens :)
    Beijinho doce e bom Domingo!

    ResponderEliminar
  6. Aqui está algo que tenho que experimentar (fazer em claro, claro).
    Que delícia.

    ResponderEliminar
  7. Olá Lucia :)

    Que sericaia tão bonita, tem um aspecto mesmo delicioso e fantástico ! :)

    Um beijinho *

    ResponderEliminar
  8. Adoro sericaia e adoro esta tua, que está linda e convidativa e acompanhada pelas ameixas em calda que adoro!!
    Beijinhos,
    Lia.

    ResponderEliminar
  9. Mais uma perdição destes sabores bem tradicionais!
    Kiss, Susana
    Nota: Ver o passatempo a decorrer no meu blog:
    http://tertuliadasusy.blogspot.pt/2013/10/dia-um-na-cozinha-e-escolha-do.html

    ResponderEliminar

Muito Obrigado pelo seu comentário e pelo tempo que usou para visitar o meu site e esta receita em particular! Um beijinho e volte sempre
Lúcia Costa - O Barriguinhas